Tucanos criticam proposta de novas eleições

Tucanos criticam proposta de novas eleições como estratégia para evitar impeachment de Dilma


A convocação de novas eleições como solução para a crise pela qual passa o país tem sido defendida por alguns setores governistas como estratégia para evitar o impeachment da presidente Dilma Rousseff, mas é alvo de críticas do PSDB.


Novas eleições exigiriam, neste momento, a renúncia da presidente, que já reforçou não estar disposta a deixar o cargo. Além disso, a tese é entendida pela oposição como uma forma de desvirtuar o processo de de impeachment, que já está em estágio avançado na Câmara dos Deputados.


Líderes tucanos consideram que o processo de impeachment terá maior celeridade para afastar Dilma do poder em curto prazo, sendo um caminho emergencial para salvar o Brasil da crise que mergulhou nos últimos meses – provocada pela má gestão de Dilma e seus aliados que ocupam cargos no Executivo.


O senador Aécio Neves afirmou nesta terça-feira (05) que a iniciativa não tem qualquer correlação com a realidade, visto que não está prevista na Constituição. O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) ressalta que a proposta só atende aos interesses do PT, que quer prolongar a sobrevivência no poder.


“É uma forma de tentar colocar água na fervura do impeachment. Isso só interessa ao governo, à presidente Dilma Rousseff. Poderá haver novas eleições? Sim, se porventura, a ação que nós do PSDB, junto com o PPS e o Democratas avançar no Tribunal Superior Eleitoral. Mas esse é um assunto de alta complexidade jurídica que pode prosseguir, mas sabe-se lá quando será julgado. E nós não podemos mais aguentar esse governo.”


O líder da Oposição na Câmara, deputado federal Miguel Haddad (SP), reforça que o impeachment é uma solução legítima para livrar o país da corrupção e da paralisia causada pelo PT.


“O que se tenta é enfraquecer o processo do impeachment, se tenta criar uma alternativa com isso, tentando criar uma nuvem de fumaça, um cenário que não espelha verdade. O impeachment, nesse momento, é um desejo da população. O autor do impeachment é o povo brasileiro. E a razão é clara. Um grau de corrupção nunca antes visto na história do país e a crise econômica, que se deve à má gestão do governo do PT”, afirmou.


O PSDB é autor de quatro ações no Tribunal Superior Eleitoral que podem ocasionar a cassação da chapa Dilma-Temer e resultar em novas eleições. O partido mantém o apoio a essas ações e espera o seu julgamento célere, mas sem nenhuma interferência no pedido de impeachment que tramita no Congresso.



Fonte: PSDB, 6 de abril de 2016 http://bit.ly/1UKl3EV

Entre em contato!