Respondendo aos leitores

JJ

Desde quando iniciamos a publicação desta série de artigos aqui no JJ e, posteriormente, lançamos o site Gestão Local – duas iniciativas dedicadas a divulgar e promover as ideias do movimento Ação Local; a incentivar a maior participação da população nas decisões sobre o destino da cidade e à ampliação da inclusão digital, do hábito da leitura, do ensino da matemática e das ciências, propostas que, em seu conjunto, nos permitirão dar um novo salto de desenvolvimento, tornando Jundiaí um centro produtor de conhecimentos – temos recebido, geralmente via e-mail, apoios, indagações e sugestões dos leitores que procuraremos, a partir de agora, responder.

Aos leitores que nos escreveram manifestando o desejo de participar do encaminhamento dessas iniciativas, informamos que, a partir do site Gestão Local, vamos encontrar uma maneira de viabilizar essa participação. Esse é o caso, por exemplo, de um jundiaiense, o qual, com a experiência de ter trabalhado no Vale do Silício, região dos Estados Unidos considerada o centro do mundo da informática, área em que é especialista, declara que as propostas apresentadas no artigo “Ideias Novas para Jundiaí” – resumidas acima, no primeiro parágrafo – “vão ao encontro das experiências que acumulei na vida”.

Uma característica comum da maioria das mensagens recebidas refere-se à necessidade de priorizarmos a educação. A reação positiva da população mostra a viabilidade dessa proposta, que depende, para ser efetiva, do engajamento de toda a sociedade. Como diz uma leitora, com referência ao artigo “Leitura faz a diferença”, “sem dúvida, esse é o caminho para o desenvolvimento. As coisas acontecem nos municípios, não sendo recomendável ficar esperando soluções dos poderes estaduais e federais”. Outro leitor, sobre o mesmo tema, declara que “educação de qualidade é a única solução para o Brasil. Só uma população culta e esclarecida poderá dar rumo ao desenvolvimento do Brasil”.

Sobre esse artigo, recebemos ainda exemplos de ação da comunidade na promoção da leitura, como é o caso da Casa da Fonte, da Companhia de Saneamento de Jundiaí, que possui sua pequena, mas eficiente biblioteca, muito utilizada pela população local. Outro exemplo citado por uma leitora é o Centro Cultural do Bairro do Caxambu, que objetiva uma biblioteca. Em seu e-mail ela manifesta também sua disposição em participar: “queremos fazer parte e somar esforços, contribuir para o desenvolvimento do município”.

Com relação ao artigo “O que acontece no Rio inspira o Brasil”, vários leitores manifestaram apoio à proposta de Fernando Gabeira, que colocou como condição para aceitar sua candidatura a prefeito do Rio de Janeiro, que a campanha fosse utilizada para apresentação de propostss e não de acusações e ataques pessoais; que as contas, com fontes de financiamento e gastos, fossem transparentes e colocadas na Internet e, finalmente, caso eleito, que pudesse escolher seus secretários segundo critérios estritamente profissionais. De acordo com uma leitora, “a iniciativa de Gabeira é louvável, pois acredito concretizar o sonho de todo brasileiro. Queremos saber com clareza como os nossos governantes governam”.

Alguns leitores escreveram para dar sugestões, como um engenheiro civil jundiaiense, que apresenta uma ideia valiosa. “Acredito que Jundiaí tem vocação para termas ambientais ainda não divulgados, como, por exemplo, a questão da emissão de carbono e sua compensação com plantio de árvores. Acho que essa iniciativa a ser oferecida ao poder público, no caso da prefeitura compensar sua própria emissão de carbono, colocaria a municipalidade na frente em todo o Brasil”.

Como se vê, os jundiaienses mostram exemplos, têm ideias novas e desejam participar da construção do futuro de sua cidade. Esse é o requisito necessário para podermos dar um novo passo no desenvolvimento de Jundiaí. Com certeza poderemos seguir esse novo caminho, proporcionado às gerações futuras, nossos filhos e nossos netos, mais oportunidades e melhor qualidade de vida.

Entre em contato!