Por que votar em Aécio?

JundiAqui, outubro de 2014


Hoje, nosso voto vai escrever a história. É chegada a hora de pensar o que é melhor para o Brasil, independente de partidarismos, ideologias ou interesses pessoais.
Afinal, qual é o melhor caminho para fazermos do nosso país um país melhor? Qual é o maior obstáculo? E quem pode realizar melhor essa tarefa?
A verdade é que a vida da grande maioria dos brasileiros, homens e mulheres, principalmente os que são chefes de família e têm a responsabilidade de criar os filhos e manter a casa, é uma vida difícil, de muita luta e preocupações. Aqui, e nos demais países subdesenvolvidos e pobres como o nosso, assim é a vida.
Nos países desenvolvidos, não. Há confiança no futuro, o Estado funciona, há muito mais oportunidades, mais liberdade e mais segurança, melhores escolas, transporte e saúde de qualidade. Vive-se melhor.

O Brasil teve várias chances de sair do subdesenvolvimento e tornar-se uma nação avançada. Todas perdidas, condenando geração após geração de brasileiros a viver uma vida dura, em que se trabalha muito, mas não se sai do lugar.
É preciso mudar essa história. Para isso, os brasileiros deveriam lutar, deveriam ter como objetivo número 1 tornar o Brasil um país desenvolvido. A chave para alcançarmos esse objetivo é ter uma economia forte, que funcione e garanta mais e melhores oportunidades para todos.
Esse é o caminho. Quem vai decidir se vamos segui-lo, é você, hoje.
Qual é o candidato com a melhor equipe para realizar esse trabalho? Qualquer pessoa isenta - acredito que até mesmo os seus adversários - entende que, dos dois candidatos, o mais preparado e com a melhor equipe para enfrentar esse desafio é Aécio Neves.
O PT não poderia ser, porque para o PT o desenvolvimento econômico não é importante. Doze anos depois deixam a economia nacional de joelhos. E, para justificar essa situação, alegam que o desenvolvimento não importa. O que importa é a ação social.  

É uma falsa questão. Como é possível haver desenvolvimento social sem desenvolvimento econômico? Sem o motor da economia, a ação social não tem como avançar. O povo vive prensado nos ônibus, num trânsito engarrafado, enfrenta o batente entra ano e sai ano, mas não sai do lugar. Nada melhora, de fato.  Os pobres continuam pobres, a vida continua dura, todos trabalhando cinco meses por ano só para pagar impostos.
É preciso que haja desenvolvimento econômico para que tudo possa melhorar, inclusive os programas sociais, que deveriam servir para acabar com a pobreza, com porta de saída - via educação de qualidade e melhor saneamento básico -, e não para perpetuá-la, nem muito menos mascarar a ineficiência ou essa série vergonhosa de escândalos, cada vez mais graves.
O candidato certo é a favor da melhoria da qualidade da assistência social e também do desenvolvimento econômico. Só assim poderemos olhar para o futuro com confiança.
Essa é a diferença. Essa é a proposta de Aécio Neves.
 
Miguel Haddad
Deputado federal eleito pelo PSDB

Entre em contato!