Ação local e aquecimento global

Um dos fatores que demonstra claramente o caráter espontâneo das interações que nos levam à chamada globalização - que alguns vêm, de maneira equivocada, como produto da maquinação de poderosas forças ocultas - é o aquecimento da temperatura planetária.

Depois de analisar detidamente as razões do fenômeno, o relatório feito pelos cientistas convocados pelas Nações Unidas mostra que há caminhos para a superação desse enorme desafio. Para isso, é vital que todos os países adotem medidas no sentido de diminuir a emanação de gases tóxicos e invistam na preservação da água e seus mananciais.

Todavia, embora se trate de um problema global, parte de sua solução depende da ação local, ou seja, do que dizermos em nossas cidades, em nossos bairros e em nossas casas.

Cada um de nós, cidadãos e munícipes, podemos colaborar de maneira efetiva para evitar que nossos filhos e netos vivam em um mundo de dificuldades imprevisíveis.

Nesse sentido, é de se louvar providências que estão sendo tomadas, em nossa cidade, no âmbito municipal, tanto pelos executivo como pelo legislativo, da parte da situação e da oposição.

Uma dessas medidas, o Projeto de Lei de autoria do vereador Gerson Sartori, instituiu o Programa de Conservação, Uso Racional e Reutilização da Água em prédios públicos e privados de Jundiaí, o que permitirá a reutilização da água de chuva.

Da parte do Executivo, o prefeito Ary Fossen anunciou, no início de março deste ano, a duplicação da Represa de Abastecimento, com investimentos de R$ 72 milhões. A duplicação da represa será acompanhada de obras que irão ampliar os sistemas de galerias pluviais, as canalizações de rios e riachos e diminuir o desperdício na distribuição, com a continuação da troca dos canos de ferro por tubos de PVC.

Um ponto importante, a ocupação irregular que afeta de maneira dramática a preservação das áreas de represa, em cidades como São Paulo, por exemplo, aqui foi evitada com a construção do Parque da Cidade, que nos proporciona, ainda, lazer e educação ambiental.

A partir desse conjunto de medidas, em razão da preocupação de todos, Jundiaí ganha em várias frentes, uma vez que os investimentos feitos em infra-estrutura melhoram, de maneira geral, a qualidade de vida da nossa cidade. Tudo isso concorre para atrair novas empresas e dá segurança às empresas aqui já instaladas, expandindo a oferta local de emprego e aumentando a renda familiar da população. De fato, algumas empresas já encontram dificuldades em encontrar mão-de-obra, como anunciou na semana passada uma operadora internacional de carões de crédito aqui recém-instalada. Nesse sentido, Jundiaí mostra que ações locais positivas para diminuir os efeitos do aumento da temperatura podem ser, também, um bom negócio para a cidade.

As ações não terminam, no entanto, com as medidas tomadas pelos poderes localmente constituídos. O Brasil, conforme pesquisa publicada nos jornais, é um dos países em que as pessoas têm maior consciência dessa ameaça planetária, superando inclusive, nesse quesito, a população dos Estados Unidos.

Isso é importante, uma vez que essa forte conscientização leva cada um de nós a se engajar na luta contra o aquecimento global, em seu bairro, em seu trabalho, em sua casa, igreja, sindicato, clube ou associação. Para identificar quais medidas podemos colocar, pessoalmente, em prática vale a pena acessar e divulgar as informações dessas instituições: Agenda 21 (www.crescente-fertil.org.br/agenda21/index2.htm); Greenpeace (www.greenpeace.org.br) e WWF (www.wwf.org.br)

Entre em contato!